CONSUMO EXCESSIVO DE SAL

Cuidado com o consumo excessivo de sal

Cuidado com o consumo excessivo de sal

O sal faz parte da cozinha brasileira. Em pequenas doses, é bem-vindo. É o responsável por realçar o sabor dos alimentos e, no contexto de uma alimentação saudável, mantém o organismo em equilíbrio e previne doenças como o bócio. O consumo excessivo de sal, porém, está associado a doenças como hipertensão, problemas renais e cardiovasculares.

Mas como saber o que é sal demais? Como mudar esse hábito sem perder sabor nas preparações? Quais são os riscos desse consumo excessivo de sal? Vamos conversar um pouco mais sobre esse assunto no post.

CONSUMO EXCESSIVO DE SAL - RECOMENDAÇÃO

Brasileiro consome o dobro de sal recomendado

O recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para adultos saudáveis é manter o consumo diário de sal abaixo de 5g, o equivalente a 2g de sódio. Em medidas caseiras, isso significa uma colher de chá de sal por dia. Apostamos que você usa muito mais em sua rotina, ainda mais quem costuma comer fora de casa.

Durante a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), de 2013, a análise de sangue e urina de mais de 9 mil brasileiros demonstrou que o consumo de sal em nosso país excede o recomendado. O brasileiro consome, em média, 9,34g de sal por dia, praticamente o dobro do que preconiza a OMS.

A avaliação indicou que apenas 2,39% da pessoas pesquisadas estão dentro da faixa recomendada e têm consumo inferior a 5 gramas por dia. Outro número importante é que somente 12% dos brasileiros adultos têm consciência dos riscos do consumo excessivo de sal. A falta de consciência é um dos maiores perigos para saúde.

O sal é um problema de saúde pública

Os Estados Membros da OMS concordaram em reduzir a ingestão de sal da população mundial em 30% até 2025. Para isso, são feitos acordos voluntários entre o governo brasileiro e representantes das indústrias de alimentos.

A preocupação com o consumo excessivo de sal deixa de ser exagerada quando lembramos que, em 2018, 24,7% da população que vive nas capitais brasileiras afirmou ter diagnóstico de hipertensão. São cerca de 33 milhões de pessoas que sofrem com o problema. E tem mais: a doença isquêmica do coração é a principal causa de morte em nosso país, conforme dados do governo.

Hipertensão arterial 

Conforme a ingestão de cloreto de sódio aumenta, progressivamente sobe a elevação da pressão arterial. Com o consumo excessivo de sal, essa substância se acumula no sangue e no fluído extracelular.

O sal de cozinha tem uma característica importante: ele atrai as moléculas de água para si. O corpo, porém, precisa manter o equilíbrio osmótico. Isto é, o processo pelo qual células e organismos simples mantêm o equilíbrio de fluidos e eletrólitos com o ambiente.

O organismo, então, acaba retendo mais água e isso faz com que a quantidade de sangue circulando nos vasos aumente. Daí temos a elevação da pressão arterial no indivíduo.

A pressão alta prejudica a flexibilidade das artérias e ataca os vasos, coração e cérebro. Além de lecionar os vasos e causar infartos ou derrames, como são conhecidos popularmente, o consumo excessivo de sal compromete o funcionamento dos rins, que fica sobrecarregado e têm dificuldades para eliminar essa substância.

Temos que lembrar que os sistemas do corpo funcionam em conjunto, então a hipertensão arterial é uma problema que pode levar a outros quando não tratada da forma correta.

O sal escondido nos industrializados

O nº 1, lanche mais famoso de uma rede de fast-food, tem, somente o hambúrguer, 1047mg de sódio, ou seja, atinge mais da metade da recomendação diária de sal. Imagine, agora, com a batata frita, refrigerante e sobremesa. Fora as outras refeições que a pessoa faz ao longo do dia.

Mas não precisamos ir aos fast-foods para encontrar alimentos ricos em sódio. Sabe o caldo de galinha industrializado, usado em sopas, molhos e outras receitas? 1/2 tablete possui 873mg de sódio, atingindo 36% da recomendação diária. Somente 1/2 tablete.

Um miojo sabor galinha caipira tem 1522mg de sódio, 63% da recomendação diária. Treze fatias de salame italiano têm 825mg de sódio, enquanto um salgadinho sabor cebola e salsa tem 693mg.

Agora, adicione a essa conta o sal que você usa nas preparações diárias, desde o arroz até a mistura. Coloque também o sódio da manteiga, pães, patês, torradas, sucos, energético, frios, aquele salgado da lanchonete, o pão de queijo da padaria, etc. Pronto, você passou dos 5g.

De olho nos industrializados

Os produtos ultraprocessados costumam apresentar alto teor de sódio. Essa adição de grandes quantidades de sal é necessária para estender a duração dos produtos e intensificar o sabor ou até mesmo encobrir o gosto indesejável dos aditivos e outras substâncias químicas.

Estudos demonstram que reduzir o consumir de industrializados no dia a dia leva a um maior controle do consumo de sal. É uma atitude simples e extremamente efetiva. Muitas vezes pensamos que esse consumo de sódio está relacionado exclusivamente à comida salgada, mas vai além disso, como vimos nos exemplos acima.

CONSUMO EXCESSIVO DE SAL - GUIA ALIMENTAR

O que diz o Guia Alimentar da População Brasileira

Uma das principais dicas do guia para diminuir o consumo excessivo de sal é substitui-lo por temperos frescos. Sendo assim, no feijão, ao invés de usar carnes embutidas, opte por quantidades generosas de cebola, alho, folhas de louro, salsinha, cebolinha, coentro, etc. O mesmo vale para o arroz e outras preparações diárias.

Como fazer um sal de ervas

Essa é uma boa forma de diminuir o sal usado na cozinha e, ao mesmo tempo, garantir uma comida saborosa. Em um mixer ou liquidificador adicione 1/2 xícara de sal grosso marinho e 1 colher de sopa dos temperos:

  • Orégano;
  • Manjericão seco;
  • Salsinha seca;
  • Alecrim;
  • Tomilho;
  • Noz moscada ralada na hora.

Bateu tudo? Em seguida, é só guardar em um potinho de vidro bem vedado e ir usando para temperar as refeições. Quando bem conservado, o sal de ervas dura até 3 semanas.

Aqui, deixamos uma sugestão de combinação, mas você pode usar seus sabores favoritos, como lemon pepper, páprica doce, alho em pó, salsa, etc.

Procure um nutricionista

Para começar a ter uma rotina mais saudável e uma vida mais leve, cheia de energia. Com um acompanhamento nutricional, é possível reduzir o sódio de forma efetiva, sem radicalismos.

Se você está preocupado com o consumo excessivo de sal, tem hipertensão arterial ou quer começar a construir hábitos mais saudáveis, entre em contato e marque sua primeira consulta 🙂

1 comentário em “Cuidado com o consumo excessivo de sal”

  1. Pingback: Como criar um cardápio semanal em casa - Nutricionista Cristiane

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir bate-papo
Olá 👋
Sou a Cristiane!
Podemos ajudá-lo?